Tribuna

Rede EAMI: como a ciência é difundida em meio da pandemia da COVID-19

A Rede de Autoridades em Medicamentos da Ibero-america (EAMI) tem como missão gerar conhecimento através do intercâmbio de experiências e informação científico-técnica que permita fortalecer as garantias de qualidade, segurança e eficácia tanto de medicamentos como de produtos sanitários.

Toda esta cooperação é canalizada através de um foro técnico que permite a  comunicação efetiva entre os  países da Ibero-América.

Por isso, uma comunicação eficaz se ergue como elemento indispensável para que o intercâmbio de informação se transforme em boas práticas regulatórias assim como planos conjuntos e campanhas comuns ao longo dos  22 países que forman parte da Rede na região ibero-americana.

Por um lado, com respeito à comunicação interna, o Secretariado da Rede é quem se encarrega de  garantir uma gestão eficaz da comunicação interna entre os membros, assim como divulgar os avanços realizados e os resultados obtidos ao público de interesse.

Por outro, no que se refere à comunicação externa, a Rede EAMI se ergue como voz aglutinadora dos 22 páises membros, sendo referência tanto de profissionais da Saúde como de cidadãos,  dando-lhe maior profundidade e capacidade de influência a nível internacional.

Entre todos os que conforman a Rede, são realizadas atividades de harmonização regulatória, capacitação de profissionais e sensibilização da população.

Foram realizadas estratégias de notificação de medicamentos ilícitos com o desenvolvimento de instrumentos informáticos para melhorar o trabalho de colaboração entre as entidades reguladoras da Rede e potenciar a coordenação de ações e politicas ao respeito

Ao trabalhar em temas relevantes para todos os países da Rede, a comunicação pode gerar mensagens e segmentar seus públicos, já não por sua nacionalidade, senão por seus interesses, suas atividades ou seus conhecimentos em matéria de medicamentos.

Como exemplo, no âmbito da luta contra os medicamentos falisifcados e fraudulentos, um tema de grande relevância a nível global, foram realizadas campanhas diferenciadas segundo o público objetivo, como a campanha “ao estilo Sánchez Ibero-América”, dirigida a concientizar a cidadania sobre os perigos que acarreta adquirir medicamentos através de vias não contrastadas.

Por outro lado, a nível técnico, foram desenvolvidas guias que permitem estabelecer uns critérios para melhorar e harmonizar práticas através da região. Por último, foram realizadas estratégias de notificação de medicamentos ilícitos com o desenvolvimento de instrumentos informáticos para melhorar o trabalho de colaboração entre as entidades reguladoras da Rede e potenciar a coordenação de ações e politicas ao respeito.

Dentro dessa aposta, foram impulsionadas novas iniciativas de colaboração. É o caso da Plataforma Posconsumo de Medicamentos (PPM), criada pela Rede Ibero-americana de Programas de Posconsumo de Medicamentos (RIPPM) e que promove programas para o controle de medicamentos vencidos e não utilizados, e seu correto tratamento ambiental.

Em Rede frente a COVID-19

A capacidade da Rede EAMI como repositório de informação útil para a cidadania e para profissionais demonstrou um benefício acrescentado durante a recente emergência sanitária pela COVID-19.

Em um contexto onde o conhecimento científico e técnico frente ao SARS-CoV-2 vai sendo adquirido dia-a-dia nos diferentes países, desde a Rede EAMI foi inicializada a plataforma “Em Rede frente a COVID-19”, lançada ao início da pandemia.

No âmbito internacional, a Rede EAMI destaca como interlocutor único dos 22 países, interagindo com organizações como a Organização Mundial da Saúde (OMS), SIGRE (Medicamento e Meio Ambiente) ou a Coalizão Internacional de Autoridades Regulatórias de Medicamentos (ICMRA por suas siglas em inglês).

A Rede apoia e põe à disposição os materiais de suas campanhas e ações com o objetivo de que possam ser utilizados e difundidos através da região ibero-americana.

A relevância destas ações a nível supranacional pode ser vista nos ótimos resultados da campanha #MedSafetyWeek, uma colaboração com Uppsala Monitoring Centre (UMC) e outras entidades para concientizar sobre a importância de notificar as reações adversas a medicamentos: 1 de cada 5 tuits com o hashstag da campanha foi em espanhol.

Esta difusão de informação é, a nosso entender, a melhor arma da Rede EAMI para fomentar esta conversação contínua com e para o público e profissionais da Saúde, assim como para apoiar o fortalecimento dos reguladores como referências na região.

Los argumentos expuestos en esta tribuna responden en exclusiva al punto de vista del autor, que es responsable de las opiniones manifestadas, y no reflejan en ningún caso la postura de la SEGIB

categorías:

Análise Ciência Comunicação Conhecimento Cooperação Cooperação Ibero-Americana COVID-19 Tribuna


Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. Aceptar | Más información
Recibe una alerta cuando esté disponible un nuevo especial temático sobre la cooperación en Iberoamérica en nuestro portal somosiberoamerica.org
* campo requerido
Idioma

Secretaría General Iberoamericana usará la información que nos proporciones en este formulario para estar enviarte actualizaciones del portal Somos Iberoamérica e información relacionada.

Puedes darte de baja en cualquier momento haciendo click en el enlace del pie de nuestros emails.

We use Mailchimp as our marketing platform. By clicking below to subscribe, you acknowledge that your information will be transferred to Mailchimp for processing. Learn more about Mailchimp's privacy practices here.