Tribuna

Novas oportunidades para impulsionar o investimento e o crescimento na Ibero-América

Desde a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) vemos com preocupação o atual cenário que a Ibero-América e o mundo enfrentam, marcado pelos efeitos que a crise provocada pela pandemia da CODID-19 ainda nos deixa, a prolongação da guerra na Ucrânia, o agravamento da crise meio ambiental e migratória, assim como uma maior fragmentação geopolítica que acentua a incerteza sobre o crescimento econômico, os preços das matérias primas e o comércio mundial.

Os valores que os países da América Latina compartilham com a Espanha e Portugal representam uma oportunidade e um terreno fértil para abordar, conjuntamente, os múltiplos desafios globais e gerar oportunidades de investimento, intercâmbio comercial e cooperação que contribuam a reverter a trajetória de baixo crescimento que afetou nossos países nos últimos anos.

Existe um terreno fértil desde ambos os lados do Atlântico para abordar, conjuntamente, os múltiplos desafios globais, e gerar oportunidades de investimento, intercâmbio comercial e cooperação

Com esta visão, no marco da XXVIII Cúpula Ibero-americana de Chefes de Estado e de Governo, desde a CEPAL apresentamos o documentoIbero-América: espaço de oportunidades para o crescimento, a colaboração e o desenvolvimento sustentável, no qual propomos espaços de oportunidade para ações conjuntas e de investimento em chave setorial, em concordância com a Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável.

Para a CEPAL, a recuperação do investimento e o crescimento requer uma transformação ampla e profunda dos padrões de desenvolvimento que passa pela reorientação para setores mais intensivos em conhecimentos, com taxas de crescimento da demanda e do emprego mais altas, e que favoreçam a diversificação das exportações.

Em uma primeira etapa, a CEPAL identificou 15 setores impulsionadores do crescimento que podem se estruturar em oito grupos que enumeramos a continuação:

  1. fontes energéticas renováveis não convencionais
  2. eletromobilidade urbana
  3. transformação digital
  4. indústria manufatureira da saúde
  5. bioeconomia
  6. economia circular
  7. turismo sustentável
  8. a sociedade do cuidado

Um papel proativo e dinâmico dos governos nacionais para formular e implementar políticas públicas que entreguem os sinais adequados aos agentes econômicos.

Nesta linha, as políticas baseadas no enfoque de clusters que se nutrem da colaboração entre o setor público, o privado e o acadêmico desde o nível local, podem ser um instrumento valioso. De fato, é uma das formas mais efetivas de promover o desenvolvimento produtivo de grupos específicos de cadeias de valor e de maximizar as sinergias, não só entre atores chave de aglomerações específicas de empresas, senão também entre as políticas nacionais (top-down) e as políticas descentralizadas nos territórios (bottom-up).

As áreas de oportunidade identificadas também podem se transformar em vetores para reforçar a integração regional e o multilateralismo, construindo desde os territórios específicos. A coordenação regional permitiria alcançar as escalas de produção e demanda necessárias para uma articulação virtuosa de políticas e objetivos nacionais.

As áreas de oportunidade identificadas também podem se transformar em vetores para reforçar a integração regional e o multilateralismo

A harmonização de políticas e procedimentos no espaço regional poderia facilitar que os compromissos políticos e programáticos dos governos se orientassem para uma agenda baseada em projetos que aprofunde e modernize os marcos e dinâmicas integracionistas.

Mais ainda, as novas condições da globalização e geopolíticas reforçam a lógica de trabalho em espaços regionais, pelo que a região deve superar fraturas ou polarizações e apostar para um fortalecimento regional e do multilateralismo. Ibero-América tem a grande oportunidade de participar ativamente no projeto da nova governança internacional e defender seus interesses e aspirações em um âmbito de renovada cooperação internacional. Para isso, é indispensável reforçar, substantivamente, os processos e a institucionalidade da integração regional.
Na CEPAL, esperamos que estas propostas contribuam para desdobrar iniciativas de alto impacto que permitam gerar um futuro mais próspero, produtivo, inclusivo e sustentável para os habitantes do espaço ibero-americano.

Los argumentos expuestos en esta tribuna responden en exclusiva al punto de vista del autor, que es responsable de las opiniones manifestadas, y no reflejan en ningún caso la postura de la SEGIB

categorías:

Agênda 2030 Análise Cambio Climático Cúpulas Ibero-Americanas Desenvolvimento Desenvolvimento sustentável Economia Empresa energías renovables Meio Ambente ODS Políticas Públicas Regionalismo Sustentabilidade Transición energética Tribuna Turismo Sustentável


Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. Aceptar | Más información
Recibe una alerta cuando esté disponible un nuevo especial temático sobre la cooperación en Iberoamérica en nuestro portal somosiberoamerica.org
* campo requerido
Idioma

Secretaría General Iberoamericana usará la información que nos proporciones en este formulario para estar enviarte actualizaciones del portal Somos Iberoamérica e información relacionada.

Puedes darte de baja en cualquier momento haciendo click en el enlace del pie de nuestros emails.

We use Mailchimp as our marketing platform. By clicking below to subscribe, you acknowledge that your information will be transferred to Mailchimp for processing. Learn more about Mailchimp's privacy practices here.