Tribuna

As grandes oportunidades de investimento e emprego que a sustentabilidade representa

Nos últimos 50 anos perdemos 60% da biodiversidade, quase dois terços  do gelo  do Ártico, a metade dos bosques tropicais e um terço de terra arável.

No entanto, estima-se que para o 2030 consumiremos 30% a mais de água, 40% a mais de energia e 50% a mais de comida. As contas não saem. Necessitamos repensar o modelo de produção e consumo.

Sendo realistas, isto representa uma grande oportunidade. Segundo as Nações Unidas, para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável são requeridos entre 5 e 7 bilhões de dólares anuais. Para a Corporação Financeira Internacional (IFC), uma entidade  do Grupo Banco Mundial, o investimento de impacto social e ambiental representará um mercado de 26 bilhões de dólares

As contas não saem. Necessitamos repensar o modelo de produção e consumo

 

Nova infraestrutura

O investimento em infraestrutura eficiente e sustentável é um dos desafios mais urgentes para reduzir as emissões globais. Estima-se que onze países ibero-americanos estão entre os mais atraentes para investimento em renováveis.

Além disso, serão requeridos modelos inovadores para abastecer zonas desatendidas, conseguir uma distribuição mais eficiente, fazer frente ao estresse hídrico e limitar a extração de combustíveis fósseis e o desmatamento.

Estas tecnologias representam uma grande oportunidade de industrialização e emprego nas economias ibero-americanas, focadas em setores primários de extração de recursos e serviços.

Especialmente na Ibero-América se apresenta uma grande oportunidade na recuperação da biodiversidade, a agricultura climaticamente inteligente e o manejo sustentável de bosques e oceanos.

Estima-se que a exploração sustentável de produtos florestais não madeireiros pode aportar até 3.638 milhões de dólares às economias regionais, segundo dados de 2017 da Organização das Nações Unidas para a Alimentação (FAO), isto sem valorizar os serviços ecossistêmicos.

A oportunidade se encontra naqueles modelos que valorizem o capital natural, cujo desafio estará na adoção de um enfoque sistémico, onde o capital técnico, financeiro e humano trabalhe rumo a este mesmo objetivo.

 

Milhões de empregos

Segundo a Organização Internacional  do Trabalho (2018), a transição rumo à economia circular gerará 10 milhões de novos empregos na América Latina.

Neste sentido, cobrarão especial relevância o projeto produtivo baseado na biomimética, limitando a extração de matérias primas e reutilizando os recursos no próprio sistema. Segundo o Foro Econômico Mundial (2013), esta economia poderia reduzir entre 10% e 15% as emissões globais e gerar uma oportunidade de 4,5 bilhões de dólares.

Sem dúvida, nos encontramos perante um número infinito de oportunidades. Todas alcançáveis com os recursos técnicos, científicos e financeiros existentes. A única coisa que nos falta é vontade. Vontade de mudança e de maior colaboração Inter setorial.

Los argumentos expuestos en esta tribuna responden en exclusiva al punto de vista del autor, que es responsable de las opiniones manifestadas, y no reflejan en ningún caso la postura de la SEGIB

categorías:

Agricultura Cambio Climático Diversidade Economia Empleo Infraestructuras Tribuna

Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web, en cumplimiento del Real Decreto-ley 13/2012. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. Aceptar | Más información