Tribuna

Ibero-América: 30 anos de diálogo político com visão de futuro

A Conferência Ibero-americana cumpre neste ano 30 anos de diálogo ininterrupto ao mais alto nível político e com a presença constante de todos os países da região, o que demonstra que se consolidou como um espaço único no qual cabemos todos, com nossas diferenças e com nossos valores comuns.

Perante os devastadores efeitos de uma pandemia da COVID-19 que golpeou com força a região, e perante um impacto econômico sem precedentes, 22 países a ambos os lados do Atlântico se encontraram na XXVII Cimeira Ibero-americana de Chefes de Estado e de Governo, celebrada em Andorra em abril, para entabular um diálogo sincero, com respostas à altura da situação.

Eu sempre digo “o multilateralismo não é um clube de amigos”.

Na Ibero-América dizemos as coisas, uns aos outros, abertamente no plano político, mas ao mesmo tempo avançamos nos assuntos que nos afetam a todos. Disso trata o multilateralismo.

Com esta filosofia, na última Cimeira Ibero-americana conseguimos pontos de encontro em temas que importam às pessoas porque impactam em seu dia a dia. Não queríamos que a Cúpula fosse só um encontro diplomático, senão que oferecesse um ponto de partida para responder à cidadania ibero-americana: às famílias, às empresas, às mulheres, aos coletivos mais vulneráveis que sofrem os efeitos da crise econômica, para juntar nossos esforços rumo a uma recuperação mais justa e sustentável em um momento que muitos consideram histórico.

Fizemos chamamentos claros a favor da distribuição equitativa das vacinas e da preparação perante futuras pandemias; a favor de um financiamento externo urgente e flexível para a recuperação econômica, e a favor da transição meio ambiental. Além disso, criamos quatro programas de cooperação, orientados a Prevenir e Eliminar a Violência contra as Mulheres, impulsionar a Cidadania Global para o Desenvolvimento Sustentável, eliminar o Chagas congênito e promover o Instituto Ibero-americano de Línguas Indígenas.

Em um ano de pandemia, conseguimos manter os encontros ministeriais e setoriais de forma telemática, todos eles preparatórios de uma agenda ambiciosa para apresentar aos Chefes de Estado e de Governo.

 Perspectiva histórica

Para valorar a Comunidade Ibero-americana que temos hoje, devemos entender de onde viemos e como éramos há 30 anos quando foi celebrada a I Cúpula Ibero-americana de Chefes de Estado e de Governo, em Guadalajara, México.

Em 1991, a América Latina vinha da chamada década perdida dos 80, a pior crise vivida pela região até esse momento, assim como hoje vivemos outra crise sem precedentes. E, tal e como fizemos recentemente em Andorra, as Cúpulas Ibero-americanas permitiram estender pontes, relacionar-nos e apoiar a recuperação.

Com a criação da Secretaria-Geral Ibero-americana (SEGIB) em 2005, se dotou de institucionalidade o que previamente era só um “mecanismo de Cúpulas” que se sucediam, umas a outras.

Aprofundou-se o acervo comum da língua, da cultura, dos laços históricos que a região já tinha.  Foi “povoado o espaço” porque participaram novos atores a diferentes níveis: ministérios setoriais, empresas, sociedade civil, redes ibero-americanas, se transcendeu o governamental para construir a Ibero-América também desde as pessoas e passamos de ser um mecanismo de Cúpulas a uma Conferência Ibero-americana.

 De Conferencia a Comunidad Iberoamericana

Em meus mais de sete anos como Secretária-Geral tive a honra de encabeçar quatro Cúpulas Ibero-americanas e impulsionar uma etapa de renovação e consolidação. Passamos de ser uma Conferência Ibero-americana para converter-nos em uma Comunidade Ibero-americana na qual não há semana que passe sem que alguém em nosso espaço se reúna, sem que nenhuma associação trabalhe em nosso nome, sem que ninguém convoque e se sinta parte de nossos esforços.

Esta comunidade não só se reconhece e atua como tal, senão que além disso se dá a conhecer como tal. Nela, apoiamos a construção de uma identidade ibero-americana inclusiva, difundimos nossa riqueza e diversidade cultural, tecemos novas redes e nutrimos as já existentes, e promovemos decisivamente a projeção internacional da Ibero-América, tudo para benefício da cidadania.

Nesta Comunidade também fomentamos o trato respeitoso e em pé de igualdade entre os países. Assim como na cooperação ibero-americana superamos a lógica Norte-Sul, no plano político também não temos blocos de nações ibéricas e latino-americanas, senão 22 países que se relacionam de forma horizontal e simétrica, em um espaço que reúne todos em sua diversidade. Os países claramente confiam na Ibero-América.

O êxito da Comunidade Ibero-americana reside, precisamente, em tudo isto: em sua capacidade de incluir todas as vozes, de se construir também de baixo para cima, desde as pessoas e suas necessidades, assim como desde os países e seus desafios.

Ao concluir meu mandato frente à SEGIB, posso dizer que consolidamos a Ibero-América como uma plataforma de diálogo político e cooperação profundamente comprometida com o multilateralismo que o século XXI necessita: mais horizontal, mais sustentável e mais feminista.

E olhando rumo ao futuro, avançamos rumo à XXVIII Cúpula Ibero-americana da República Dominicana em 2022 com uma região mais resiliente, com uma cooperação mais orientada rumo à Agenda 2030, mais adaptada ao mundo digital, com mais projeção na comunidade internacional e, em definitiva, mais útil para suas sociedades e países.

Los argumentos expuestos en esta tribuna responden en exclusiva al punto de vista del autor, que es responsable de las opiniones manifestadas, y no reflejan en ningún caso la postura de la SEGIB

categorías:

Análise Cooperação Ibero-Americana Cúpulas Ibero-Americanas Tribuna


Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. Aceptar | Más información
Recibe una alerta cuando esté disponible un nuevo especial temático sobre la cooperación en Iberoamérica en nuestro portal somosiberoamerica.org
* campo requerido
Idioma

Secretaría General Iberoamericana usará la información que nos proporciones en este formulario para estar enviarte actualizaciones del portal Somos Iberoamérica e información relacionada.

Puedes darte de baja en cualquier momento haciendo click en el enlace del pie de nuestros emails.

We use Mailchimp as our marketing platform. By clicking below to subscribe, you acknowledge that your information will be transferred to Mailchimp for processing. Learn more about Mailchimp's privacy practices here.