Tribuna

Áreas protegidas na Ibero-América, essenciais para a biodiversidade do planeta

As áreas protegidas são essenciais para conservar a biodiversidade natural e cultural, e sua importância é reconhecida no Convênio das Nações Unidas sobre a Diversidade Biológica (CDB), que foi negociado sob o auspício do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).  

A criação de Áreas Protegidas é uma importante estratégia de gestão e de ordenamento territorial.  

Estabelece limites específicos e dinâmicas de uso e ocupação, emoldurando estes espaços e regulando-os em contextos específicos de alto valor ecológico, patrimonial ou paisagístico.  

As áreas protegidas são aplicadas com critérios, frequentemente, atribuídos pela valorização dos recursos naturais que nelas existem, ou inclusive pela necessidade de proteger ecossistemas e espécies raras ou em perigo de extinção.  

Em 2020, o Laboratório da Paisagem de Guimarães, Portugal, lançou um eBook sobre áreas protegidas, que reúne perspectivas brasileiras e de outros países ibero-americanos como Portugal e Espanha.  

eBook intitulado “Gestão, conservação e promoção de áreas protegidas – Diálogos ibero-brasileiros”, foi o resultado da Oficina Ibero-Brasileira sobre Áreas Protegidas, realizado em maio de 2019 em Guimarães.   

Coordenado pelo Laboratório da Paisagem e a Universidade Federal de Santa María, analisa o manejo, a conservação e a promoção de áreas protegidas, identificando as fortalezas, oportunidades, debilidades e ameaças.  

A publicação de 141 páginas contem textos de especialistas de diferentes universidades e institutos, como o Conselho Superior de Pesquisas Científicas da Espanha (CSIC), o Observatori del Paisatge da Catalunha, as universidades de Trás-os-Montes e Alto Douro, e do Minho, ambas de Portugal, e Universidade Federal de Santa Maria, do Brasil, além do Laboratório da Paisagem.  

A inédita iniciativa de cooperação editorial permitiu discutir o manejo de áreas protegidas, sua conservação e as ferramentas e os desafios para sua promoção em um diálogo crítico, atual e ilustrativo com vários casos práticos.  

As áreas protegidas são o último refugio de múltiplas espécies em todo o mundo, incluída uma grande proporção de biótopos, e são o instrumento reconhecido e dedicado mais eficaz, por meios legais, na preservação da biodiversidade e, a longo prazo, dos serviços dos ecossistemas e os valores culturais associados.  

A publicação (eBook) está disponível para sua livre descarga aqui. 

Em Portugal, as áreas protegidas correspondem a 9% do território. 

No Brasil, as áreas protegidas ocupam 18% do território. 

Na Espanha, 13% do território. 

A América Latina é uma das regiões com maior biodiversidade do mundo. Segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP), ao redor de 60 por cento da vida terrestre mundial e diversas espécies marinhas e de água doce podem ser encontradas na América Latina e no Caribe. Proteger a biodiversidade da América Latina é crucial para alcançar os objetivos climáticos mundiais. 

 

 

Los argumentos expuestos en esta tribuna responden en exclusiva al punto de vista del autor, que es responsable de las opiniones manifestadas, y no reflejan en ningún caso la postura de la SEGIB

categorías:

Cambio Climático Meio Ambente Tribuna


Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. Aceptar | Más información
Recibe una alerta cuando esté disponible un nuevo especial temático sobre la cooperación en Iberoamérica en nuestro portal somosiberoamerica.org
* campo requerido
Idioma

Secretaría General Iberoamericana usará la información que nos proporciones en este formulario para estar enviarte actualizaciones del portal Somos Iberoamérica e información relacionada.

Puedes darte de baja en cualquier momento haciendo click en el enlace del pie de nuestros emails.

We use Mailchimp as our marketing platform. By clicking below to subscribe, you acknowledge that your information will be transferred to Mailchimp for processing. Learn more about Mailchimp's privacy practices here.