Tribuna

Acessibilidade, essencial para uma maior inclusão e participação

Se bem a acessibilidade em todas as suas formas não é um tema novo na Ibero-América e, muito menos, um tema ao que lhe tenha sido assignada pouca atenção nas últimas décadas, a mais de dez anos da Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência, e a um lustro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ainda ficam muitas perguntas por responder e áreas a cobrir.

No momento de revisar alguns dos elementos que marcaram esta realidade, podemos encontrar que existiu e ainda persiste uma acentuada falta de conexão entre o corpo normativo e a prática real e tangível do conceito de acessibilidade.

Podemos indicar como outro elemento crucial a reduzida assignação de orçamentos públicos, tanto a nível nacional como local, para dar resposta às diferentes demandas vigentes.

Quando observamos, pelo contrário, algumas boas práticas e iniciativas público-privadas, podemos destacar uma maior toma de consciência na acessibilidade como eixo central, tanto no aspeto vinculado ao espaço físico como o acesso à informação.

“As pessoas com deficiência e suas organizações devem ter um papel protagonista no projeto, execução e monitoramento das políticas públicas”.

      Um olhar distinto

Podemos incorporar aos aspetos positivos desta incipiente mudança de paradigma um olhar diferente da sociedade para com as pessoas com deficiência. Este novo enfoque situa este coletivo como agente de direitos humanos, assim como potenciais consumidores de bens e serviços.

É neste marco que, tanto os Estados como as empresas e demais atores sociais, devem começar a reformular suas estratégias para atender um grupo social que muitas vezes foi excluído.

Adicionalmente, existe na região uma natural necessidade de alcançar consensos e esforços comuns que transcendam fronteiras e se consolidem como práticas usuais, marcando não só o rumo que a questão da acessibilidade deve tomar senão também os distintos papéis que cada entidade envolvida deve desempenhar.

A modo de síntese, pode se indicar que o Estado em seu papel de garante de direitos humanos deve realizar todos os esforços possíveis, incluídos os financeiros, para uma participação plena das pessoas com deficiência.

Neste esforço, a acessibilidade é a condição prévia para que a inclusão seja real e sustentável.

Por outro lado, as pessoas com deficiência e suas organizações devem ter um papel protagonista no projeto, execução e monitoramento das políticas públicas.

Finalmente, e não menos importante, o setor privado e as universidades devem realizar seus aportes desde a pesquisa e o desenvolvimento, assim como realizar um maior investimento para alcançar mais mercados e maior número de consumidores.

A acessibilidade não é um assunto que só beneficia a alguns. Pelo contrário, deve ser entendido como uma mudança de paradigma social que permitirá uma maior inclusão e uma participação efetiva de todos.

Os desafios são enormes, mas a região iniciou um bom caminho que deve aprofundar e assegurar que seja sustentável no tempo e em concordância aos tratados de direitos humanos vigentes.

Los argumentos expuestos en esta tribuna responden en exclusiva al punto de vista del autor, que es responsable de las opiniones manifestadas, y no reflejan en ningún caso la postura de la SEGIB

categorías:

Análise Inclusão Participação Tribuna


Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web, en cumplimiento del Real Decreto-ley 13/2012. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. Aceptar | Más información
Recibe una alerta cuando esté disponible un nuevo especial temático sobre la cooperación en Iberoamérica en nuestro portal somosiberoamerica.org
* campo requerido
Idioma

Secretaría General Iberoamericana usará la información que nos proporciones en este formulario para estar enviarte actualizaciones del portal Somos Iberoamérica e información relacionada.

Puedes darte de baja en cualquier momento haciendo click en el enlace del pie de nuestros emails.

We use Mailchimp as our marketing platform. By clicking below to subscribe, you acknowledge that your information will be transferred to Mailchimp for processing. Learn more about Mailchimp's privacy practices here.