A inovação ‘govtech’ que está revolucionando a cidade de Córdoba

A cidade de Córdoba na Argentina experimenta um auge nos empreendimentos tecnológicos que melhoram a gestão pública, graças à sua aposta pela inovação aberta sob o modelo govtech pela mão do seu Laboratório de Inovação Pública e Social “CorLab”

A inovação ‘govtech’ que está revolucionando a cidade de Córdoba
©Foto: Municipalidad de Córdoba

Em que se parece uma granja urbana inteligente que recicla dejetos orgânicos para transformá-los em energia e biofertilizantes a um dispositivo portátil que transcreve os textos em áudios para facilitar a inclusão educativa de pessoas com deficiência? O que têm em comum uma solução de inteligência artificial e big data para facilitar a mobilidade e os sistemas de transporte público com uma plataforma para calcular a pegada de carbono ou com um app que monitoriza a trajetória educativa estudantil para uma pedagogia mais inovadora?

Ainda que, à primeira vista, estas inovações possam parecer muito díspares, têm mais em comum do que parece: todas são soluções tecnológicas desenvolvidas por PMEs e empreendedores e todas confluem na cidade argentina de Córdoba, que se converteu em berço da inovação pública. Esta urbe, com apenas 1,4 milhões de habitantes e 505 bairros, se converteu em um exemplo do que sucede quando os empreendimentos e a tecnologia se encontram com uma gestão pública que decide romper esquemas.

E, precisamente, dessa aposta pela inovação desde e para as cidades surge o Laboratório de Inovação Pública e Social da cidade de Córdoba, (CorLab) que está acelerando a inovação na Administração pública através de produtos e serviços tecnológicos desenvolvidos por empreendedoras/es e start-ups da cidade de Córdoba e outros países da região.

Neste caso, se trata de uma aposta pela inovação aberta govtech, baseada na colaboração entre o setor público—a Municipalidade de Córdoba—com os distintos atores que apostam pelo empreendimento para implementar soluções digitais e tecnológicas em áreas cruciais como saúde, transporte, economia circular, acessibilidade ou inclusão, explica ao Portal Somos Ibero-América, Luciano Crisafulli, diretor de CorLab.

©Foto: Municipalidade de Córdoba

O Laboratório de Inovação Pública da Municipalidade de Córdoba está propiciando a inovação pública através de soluções govtech provenientes de PMEs e startups tecnológicas 

O objetivo, explica Crisafulli, é “estender pontes entre aqueles que já estão desenvolvendo soluções inovadoras e a cidadania que demanda tais soluções para melhorar sua qualidade de vida.  “É uma relação ganhar-ganhar” tanto para a Administração como para a cidadania, a economia e o meio ambiente”.

Por uma parte, o município agiliza a implementação da inovação e torna mais eficiente a sua gestão, e por outra, o tecido produtivo e o empreendimento são ativados através de empreendimentos com grande potencial de crescimento e que aportam soluções à cidade, amplia o diretor do CorLab.

No entanto, esta colaboração não só está reservada ao setor privado. Também diversos atores da cidade como jovens, PMEs, universidades, ONGs e até agências multilaterais como a Unicef Innovation Fund participaram nos seis desafios públicos e sociais (convites a cocriar) que a cidade de Córdoba lançou através de seu Laboratório de Inovação Pública. Duas centenas de propostas recebidas, foram selecionados e implementados 53 projetos de alto impacto em 16 meses em áreas como economia do conhecimento, economia circular, economia comunitária e economia criativa, detalha Crisafulli.

Capital risco govtech

Um dos avanços mais destacados nesta aposta pela inovação e modernização pública é o Fundo Córdoba Cidade Inteligente (CCI), o primeiro na modalidade govtech na América Latina e mediante o qual esta cidade argentina investe em startups e empreendimentos inovadores que contribuem a áreas cruciais como a educação, inclusão, meio ambiente ou a gestão de recursos, tal como explicam desde a Municipalidade de Córdoba.

 

Mediante o Fundo CCI, criado em 2021, o município de Córdoba, além de ser cliente destas novas empresas, se converte também em sócio investidor com a opção de participar no capital em algumas das tecnológicas com maior potencial de crescimento, acrescenta o diretor do CorLab, instituição que executa o fundo gerenciado pela Secretaria de Planejamento e Modernização e RRII e a Secretaria de Economia e Finanças da Cidade de Córdoba.

©Foto: Municipalidad de Córdoba

A cidade de Córdoba lançou em 2021 o primeiro fundo de capital risco govtech da América Latina para investir em empreendimentos tecnológicos com soluções estratégicas para a cidade

Mediante instrumentos de capital de riesgo (corporate venture) y préstamos contingentes, este proyecto de innovación abierta aporta financiamiento para la ampliación de emprendimientos innovadores, a la vez que brinda a estos negocios emergentes un espacio y acompañamiento para que implementen y validen sus soluciones en la ciudad.

Mediante instrumentos de capital de risco (corporate venture) e empréstimos contingentes, este projeto de inovação aberta aporta financiamento para a ampliação de empreendimentos inovadores, ao mesmo tempo que brinda a estes negócios emergentes um espaço e acompanhamento para que implementem e validem suas soluções na cidade.

O fundo CCI, respaldado pelo BID Lab (Laboratório de Inovação do Banco Interamericano de Desenvolvimento), é financiado com 1% anual da arrecadação da taxa de comércio e indústria da cidade, o que representa, ao redor de, 2 milhões de dólares anuais.

Segundo Crisafulli, se trata de um programa de investimento público “inteligente e estratégico porque oferece um triplo benefício”. Por uma parte, gera-se valor para a cidade porque são implementadas novas inovações, mas também são beneficiadas as startups porque obtêm uma injeção de capital. Finalmente, também brinda um rendimento financeiro ao município quando as empresas respaldadas pelo fundo começam a crescer e gerar benefícios. Desta maneira, explicam desde o CorLab, o município também reforça sua posição financeira para incrementar sua carteira de investimentos e sua aposta futura por serviços govtech.

Caso se mantiver o ritmo atual de investimento de 10 empreendimentos anuais através do Fundo CCI, a cidade de Córdoba projeta ter participação em um total de 100 empreendimentos e startups na próxima década, soluções escaláveis e replicáveis em outros governos locais e municípios da região.

O fundo Córdoba CCI realizará, proximamente, um novo investimento de capital em sete startups, das quais existem três provenientes da Argentina, do Chile e da Colômbia, o que permite vislumbrar a vocação regional do fundo.

“Córdoba tem o potencial de se converter em uma vitrine de soluções urbanas inovadoras através de empreendimentos govtech, pelo quê, convidamos distintos governos subnacionais a presenciar, de primeira mão, como estas soluções já implementadas funcionam em nossa cidade. Este pode ser o ponto de partida para a implementação destas soluções em outros governos de toda a região”, projeta o diretor do Lab de Inovação Pública de Córdoba.

Mais serviços govtech

©Foto: Municipalidade de Córdoba

A cidade de Córdoba, considerada como uma das melhores cidades latino-americanas para desenvolver empreendimentos tecnológicos segundo o Global Startup Ecosystem Index 2023, conta com  “Radar Smart Cities”, um compêndio da oferta de soluções inovadoras na modalidade govtech para cidades inteligentes, com critérios que contemplam desde a qualidade ambiental, espaço urbano, governo aberto até temas de saúde, segurança, transporte ou infraestruturas.

Através do Laboratório de Inovação Pública também é elaborado o Startup Monitor, um censo anual de startups que oferece uma radiografia atualizada da evolução e composição deste setor. Este recurso permite quantificar variáveis chave para a economia local como o faturamento, exportações, investimentos e emprego, vitais para o ecossistema empreendedor, investidores e gestores de políticas públicas.

Também destaca a implementação de um projeto de Inteligência Artificial (IA) com código aberto que permite compreender, classificar e analisar as inquietações e expectativas da cidadania sobre o uso dos espaços públicos na cidade, desde a perspectiva de acessibilidade e de inclusão. Este desenvolvimento, realizado em conjunto pelo Escritório de Inovação da Unicef e empreendimentos tecnológicos locais, permite gerar informação que otimiza a toma de decisões para melhorar a qualidade de vida dos vizinhos através de ferramentas de inteligência artificial.

À luz destas iniciativas, o diretor do CorLab, Luciano Crisafulli assegura que estes resultados mostram, claramente, os novos caminhos e possibilidades que se abrem para a colaboração entre governos, sociedade civil e setor privado através da inovação aberta, com um enfoque que convida a “criar juntos a cidade que queremos”.

 

Continuar lendo