Cooperação

Aprovadas novas iniciativas de cooperação ibero-americana alinhadas com a Agenda 2030

A XXVII Cúpula Ibero-americana de Andorra aprovou quatro novas iniciativas de cooperação e impulsionou a criação de um Observatório Epidemiológico Ibero-americano para a prevenção de futuras pandemias. Em que consistem estas novas iniciativas e como apoiam o desenvolvimento sustentável?

A XXVII Cúpula Ibero-americana de Andorra marcou um ponto de inflexão para a cooperação ibero-americana, que tinha vindo se adaptando para apoiar o cumprimento da Agenda 2030.

Os Chefes de Estado da Ibero-América aprovaram quatro novas iniciativas de cooperação ibero-americana que continua a se ampliar a novas áreas e eixos de atuação em linha com o Plano de Ação da Cooperação Ibero-americana (PACCI) e afiança assim a tendência de crescimento dos Programas e Iniciativas vinculados à coesão social na Ibero-América.

Estas novas iniciativas têm um impacto claro na vida das pessoas e abordam áreas cruciais como o combate e a prevenção da violência de gênero (ODS5), a erradicação da doença de Chagas (ODS3), a proteção das línguas indígenas (ODS4 e ODS16) e a difusão da Agenda 2030 para facilitar o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS17).

São iniciativas de cooperação intergovernamental com participação de vários países ibero-americanos que se associam ao projeto de forma voluntaria e flexível, em função de suas capacidades, prioridades nacionais e planos de desenvolvimento.

Iniciativa para Prevenir e Eliminar a Violência contra as Mulheres

A magnitude da violência contra as mulheres é tal que a Organização Mundial da Saúde a considera um problema de saúde pública global de proporções pandêmicas. Cerca de uma de cada três (35%) mulheres no mundo sofreu violência física e/ou sexual a mãos de seu companheiro ou violência sexual a mãos de terceiros em algum momento de suas vidas..

La iniciativa para prevenir y eliminar la violencia contra las mujeres se aprobó en la XXVII Cumbre Iberoamericana.

Na América Latina, 12% das mulheres, aproximadamente 19,2 milhões, foram vítimas de violência física ou sexual a mãos de seu companheiro íntimo atual ou anterior, umas cifras que se intensificam ainda mais com o confinamento derivado da pandemia. A violência doméstica contra as mulheres chegou inclusive a se duplicar em alguns países da nossa região durante a pandemia COVID-19.

Perante esta realidade, a nova iniciativa ibero-americana busca prevenir e eliminar a violência contra as mulheres:

  • Impulsionando políticas públicas e leis integrais para a erradicação da violência contra as mulheres
  • Inicializando sistemas de atenção, proteção e reparação integral das mulheres vítimas ou sobreviventes de violência
  • Fortalecendo os programas de prevenção da violência contra as mulheres que promovam uma mudança cultural na sociedade ibero-americana.

Esta iniciativa é a primeira plataforma institucionalizada de cooperação sul-sul em matéria de prevenção e eliminação da violência contra as mulheres e aspira se converter em um referente regional e internacional.

A iniciativa incluirá ações para promover a medição do custo econômico da violência contra as mulheres nos países ibero-americanos e se preocupará pela produção de dados e estatísticas sobre esta questão.

Até a data, somaram-se 11 países: Andorra, Argentina, Espanha, R. Dominicana, Uruguai, Bolívia, México, Equador, Chile, Colômbia e Peru; e El Salvador e Panamá vão se somar como convidados com vistas a uma incorporação plena em 2022.

Saiba mais sobre nosso trabalho pela igualdade de gênero na Ibero-América:

Iniciativa sobre Chagas Congênito

A doença de Chagas é um grave problema sanitário e social, amiúde vinculado com a pobreza e as deficientes condições de salubridade e que acarreta um custo socioeconômico e humano muito alto. Segundo dados da Organização Pan-americana da Saúde, a doença de Chagas é endêmica em 21 países da região e afeta cerca de 6 milhões de pessoas.

Nas Américas registram-se 30.000 novos casos a cada ano, 14.000 mortes em média e 8.000 recém-nascidos se contagiam durante a gestação. Uns 70 milhões de pessoas nas Américas vivem em áreas expostas ao Chagas e estão em risco de contrair a doença que pode causar graves danos cardiovasculares e no aparelho digestivo.

A iniciativa ibero-americana “Nenhum bebê com Chagas” busca eliminar a transmissão congênita do Chagas para caminhar rumo a novas gerações livres desta doença:

      • Fortalecendo os sistemas e serviços de saúde preventiva, mediante o diagnóstico oportuno, assim como tratamento e seguimento à pessoas expostas à doença, com ênfase em mulheres em idade fértil, grávidas e recém-nascidos.
      • Expandir o acesso ao diagnóstico e ao tratamento tendo em conta o binômio mãe-filho, assim como portadores crônicos assintomáticos.
      • Reforçar os mecanismos de vigilância epidemiológica e entomológica para evitar a transmissão.

A iniciativa trabalhará sob a liderança dos Ministérios de Saúde dos países participantes que promoverão ações de coordenação intersetoriais e com instituições e sócios de referência. Também serão conformadas redes de trabalho e especialistas ibero-americanos/as para sistematizar boas práticas e experiências, assim como desenvolver ações de sensibilização e visibilidade desta doença.

Oito países participam desta iniciativa: Argentina, Brasil, México, Paraguai, El Salvador, Colômbia, Guatemala e Honduras, além das organizações Mundo Sano, OPS e IS Global.

O Instituto Ibero-americano de Lenguas Indígenas (IIALI)

A América Latina tem 522 povos indígenas que falam 420 línguas originárias. Uma de cada quatro destas línguas indígenas está em perigo de desaparecer e, com isso, todo o acervo cultural, tradições e uma sabedoria ancestral que une a humanidade com a natureza.

O Instituto Ibero-americano de Línguas Indígenas fomentará o uso, a conservação e desenvolvimento das línguas indígenas da América Latina e o Caribe, apoiando as sociedades indígenas e os Estados no exercício dos direitos culturais e linguísticos, conscientizando sobre a situação das línguas indígenas através de ações de comunicação social, publicações e campanhas de difusão. Além disso, brindará assistência técnica na formulação e implementação de políticas linguísticas e culturais para os povos indígenas.

A iniciativa facilitará, além disso, a toma de decisões informadas sobre o uso e vitalidade das línguas indígenas mediante a criação de um observatório que oferecerá dados quantitativos e qualitativos que alimentem a realização de ações conducentes a alcançar os outros três objetivos.

Participam na Iniciativa 9 países: Bolívia, Equador, Paraguai, Panamá, México, Colômbia, Nicarágua, Guatemala e Peru, além do Fundo para o desenvolvimento dos povos indígenas (FILAC)

Cidadania Global para o Desenvolvimento Sustentável

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, já que fomenta uma consciência crítica que inclui e faz com que a cidadania trabalhe ativamente na construção de sociedades mais justas e sustentáveis.

O cumprimento da Agenda 2030 também exige alcançar o compromisso de outros atores de desenvolvimento fundamentais como governos (nacionais, regionais e locais), empresas, universidades e centros de pesquisa, entre outros.

A Iniciativa de Cidadania Global para o Desenvolvimento Sustentável contribui a conscientizar a cidadania ibero-americana sobre seu papel no desenvolvimento sustentável e sobre o valor da cooperação internacional para a implementação dos ODS a escala global.

Esta iniciativa promoverá tanto o debate conceitual sobre a Agenda 2030, como a conformação de um marco jurídico que consolide a educação para a Cidadania Global como uma linha de trabalho de longo prazo com a qual se comprometam os governos. Para isso, pretende capacitar na matéria as entidades reitoras da cooperação internacional e chegar desde estas ao demais de atores de desenvolvimento.

Integram este projeto 6 países: Portugal, Espanha, Chile, Paraguai, Uruguai e República Dominicana.

Observatório Epidemiológico Ibero-americano

A XXVII Cimeira Ibero-americana também impulsionou a criação do Observatório Epidemiológico Ibero-americano, um mecanismo de coordenação e fortalecimento das redes e capacidades epidemiológicas já existentes para propiciar o intercâmbio de experiências, conhecimentos e modelos de atenção.

O Observatório permitirá projetar, potenciar e executar ações coletivas que fortaleçam a capacidade de resposta perante crises e emergências que possam impactar na região a futuro, convocando atores relevantes como redes ibero-americanas de saúde, organismos nacionais de ciência e tecnologia, entre outros.

Durante 2021, a Secretaria-Geral Ibero-americana manteve rondas de contatos com atores relevantes em matéria de saúde, assim como com os programas de cooperação vinculados a esta temática com o objetivo de elaborar um documento base para a criação do Observatório.

Todas as novas iniciativas de cooperação ibero-americana estão diretamente vinculadas a um ou vários ODS da Agenda 2030, em áreas cruciais como igualdade de gênero (ODS 5), educação (ODS4), cidades sustentáveis (ODS11), redução das desigualdades (ODS 10) e alianças para o desenvolvimento sustentável (ODS 17), entre outros, o que evidencia a importância da cooperação ibero-americana na implementação da Agenda 2030 nos países ibero-americanos.

categorías:

Agênda 2030 Cooperação Cooperação Ibero-Americana Destacado Programas, Iniciativas e Projetos Adscritos Tema destacado


Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. Aceptar | Más información
Recibe una alerta cuando esté disponible un nuevo especial temático sobre la cooperación en Iberoamérica en nuestro portal somosiberoamerica.org
* campo requerido
Idioma

Secretaría General Iberoamericana usará la información que nos proporciones en este formulario para estar enviarte actualizaciones del portal Somos Iberoamérica e información relacionada.

Puedes darte de baja en cualquier momento haciendo click en el enlace del pie de nuestros emails.

We use Mailchimp as our marketing platform. By clicking below to subscribe, you acknowledge that your information will be transferred to Mailchimp for processing. Learn more about Mailchimp's privacy practices here.