Cambio Climático

A liderança da Ibero-América na luta contra as mudanças climáticas

A pandemia de COVID-19 obrigou a repensar muitos dos paradigmas e comportamentos com os quais o mundo estava acostumado. Por isso, apesar de seus terríveis efeitos sobre a saúde, a sociedade e a economia, ela também pode ser vista como uma ocasião de agir – e inovar – em outra área crucial.

Trata-se da urgência de combater as mudanças climáticas e a perda da biodiversidade, bem como de dar passos concretos rumo a um novo modelo econômico que alcance um desenvolvimento que inclua a todos e todas e que regenere o meio natural.

Nas últimas décadas, os sistemas de produção e de consumo ultrapassaram vários dos limites dos ecossistemas. A humanidade tem vivido além das possibilidades que o planeta pode suportar, gerando, além disso, desigualdade para grande parte da população mundial.

Isso gerou consequências tão palpáveis ​​como as mudanças climáticas e a perda da biodiversidade, que aumentaram a vulnerabilidade das populações pelos seus efeitos diretos sobre seus recursos básicos e sua saúde.

Há três anos, o Observatório Ibero-Americano de Mudanças Climáticas e Desenvolvimento Sustentável de La Rábida (Huelva, Espanha) estuda a situação meio ambiental na região e identifica melhores práticas.

Esta instituição é resultado de um acordo de cooperação entre quatro instituições: a Secretaria-Geral Ibero-Americana (SEGIB), o Governo de Huelva, a Junta da Andaluzia e a Secretaria de Estado de Cooperação e para a Ibero-América (SECIPI) do Ministério das Relações Exteriores e de Cooperação da Espanha.

Seu primeiro Relatório sobre Mudanças Climáticas e Desenvolvimento Sustentável, apresentado em 2018 durante a Cimeira Ibero-Americana de Chefes de Estado e de Governo em La Antigua (Guatemala), apresentou dados reveladores. Entre eles, que a maioria das emissões de CO2 (47%) procedem da agricultura e das mudanças no uso da terra e das florestas.

Este dado obriga a repensar as transformações que devem ser promovidas no modelo alimentar da região para reduzir o desperdício de alimentos e diminuir o consumo de proteína animal.

Por outro lado, 36% das emissões na Ibero-América proveem do transporte, praticamente todas da circulação rodoviária, o que convida à inovação urgente para alcançar uma maior sustentabilidade no setor.

Da mesma forma, uma economia circular adequada poderia melhorar significativamente a gestão de resíduos, que são responsáveis ​​por 7,4% do CO2 na Ibero-América.

Atualmente, menos da metade do lixo, de todos os tipos, é tratada da forma adequada na região. Portanto, a transformação deste setor em um modelo mais circular, no qual se incentive a baixa geração de resíduos, poderia criar oportunidades de emprego.

 

Liderança e Compromisso

Vários países ibero-americanos como Costa Rica, Portugal e Uruguai apontam o caminho em questões meio ambientais, já que são líderes mundiais em energias renováveis ​​e, ao mesmo tempo, são exemplos claros das oportunidades de investimento e de emprego que a transição energética oferece.

Da mesma forma, a Ibero-América ratificou seu compromisso com a Agenda 2030 das Nações Unidas para trabalhar em uma mudança de paradigma que leve a um desenvolvimento mais sustentável na região.

Além dos seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), a importância desta agenda reside em sua proposta de trabalho coordenado e integrado entre diferentes atores e setores, com um horizonte de tempo e uma linguagem comum para todos os tipos de instituições, níveis de governo e partidos políticos.

O Observatório de La Rábida trabalha ativamente para gerar as alianças necessárias entre atores e setores para aplicar a Agenda 2030 na Ibero-América. Espera-se que um novo relatório seja apresentado na XXVII Cimeira Ibero-Americana, a ser realizada no próximo dia 21 de abril.

Além do importante foco que a Cimeira terá na recuperação da pandemia de COVID-19, o seu tema continua sendo “Inovação para o Desenvolvimento Sustentável. Objetivo 2030”.

Isso só reforça que, apesar das circunstâncias atuais, a comunidade ibero-americana é fundamental, a nível mundial, para alcançar um desenvolvimento sustentável e ser um exemplo de sustentabilidade.

E não somente pela riqueza da sua natureza, mas também pelo potencial humano e inovador da sua sociedade, capaz de liderar esta transformação no mundo.

categorías:

Cambio Climático Meio Ambente Tema destacado


Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. Aceptar | Más información
Recibe una alerta cuando esté disponible un nuevo especial temático sobre la cooperación en Iberoamérica en nuestro portal somosiberoamerica.org
* campo requerido
Idioma

Secretaría General Iberoamericana usará la información que nos proporciones en este formulario para estar enviarte actualizaciones del portal Somos Iberoamérica e información relacionada.

Puedes darte de baja en cualquier momento haciendo click en el enlace del pie de nuestros emails.

We use Mailchimp as our marketing platform. By clicking below to subscribe, you acknowledge that your information will be transferred to Mailchimp for processing. Learn more about Mailchimp's privacy practices here.