Um cooperação para o promoção do desenvolvimento sustentável

Portugal apresenta um plano estratégico para o período 2014-2020

A política de cooperação para o desenvolvimento é um dos pilares da política externa portuguesa, e constitui um investimento na erradicação da pobreza extrema e na promoção do desenvolvimento sustentável. A Cooperação portuguesa trabalha no quadro bilateral e no âmbito das organizações multilaterais para:

• Reforçar a Governação, o Estado de Direito e os Direitos humanos

• Apoiar o desenvolvimento humano e bens públicos globais

• Fortalecer a Educação para o Desenvolvimento e promover a cidadania global

• Tornar mais efetiva a ajuda humanitária e de emergência portuguesa

Portugal tem um modelo de atuação descentralizado – que envolve como atores a Administração Central (ministérios setoriais), a Administração Local, a Sociedade Civil (nomeadamente Organizações Não Governamentais para o Desenvolvimento – ONGD), e o setor privado, cabendo ao Camões – Instituto da Cooperação e da Língua a coordenação e a supervisão das atividades de cooperação para o desenvolvimento portuguesas. A Comissão Interministerial para a Cooperação (CIC) e o Fórum da Cooperação para o Desenvolvimento (que reúne representantes da Sociedade Civil) apoiam a coordenação e coerência do sistema.

A Cooperação portuguesa está comprometida com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS); os princípios da Eficácia do Desenvolvimento, da Coerência de Políticas, e do Alinhamento. Portugal defende os nexos Segurança e Desenvolvimento; Migrações e Desenvolvimento e uma abordagem específica à Fragilidade. A cooperação portuguesa promove a Igualdade de Género e uma resposta coerente às Alterações Climáticas.

A Cooperação portuguesa integra um conjunto de entidades e de especialistas com um grande conhecimento das temáticas e contextos dos seus parceiros, fortes relações institucionais baseadas na confiança mútua dos parceiros, respostas concertadas nos Programas Estratégicos de Cooperação (PEC), reconhecida experiência de gestão de projetos.

A cooperação ibero-americana é relevante para Portugal, pelas seguintes razões:

• Em primeiro lugar, pelo impacto importante que tem tido no reforço das relações bilaterais com muitos países da América Latina e do estabelecimento de parcerias de cooperação triangular;

• Em segundo lugar, pelos benefícios importantes desta colaboração para as instituições portuguesas que participam nos diversos programas;

• Em terceiro lugar, (pelo facto a) pela ligação com os demais espaços multilaterais em que Portugal participa (UE e CPLP), o que lhe confere um papel importante como parceiro/facilitador junto dos países latino-americanos.

Em suma, existe um potencial importante, que poderá ser melhor explorado, com benefícios para Portugal e para as diversas entidades portuguesas, e para uma afirmação crescente da lusofonia.

 

Baixar Conceito Estratégico da Cooperaçao Portuguesa 2014-2020

Mais informação: Camões – Instituto da Cooperação e da Língua

categorías:

Ajuda ao Desenvolvimento Cooperação Sul-Sul Sustentabilidade


Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web, en cumplimiento del Real Decreto-ley 13/2012. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. Aceptar | Más información
Recibe una alerta cuando esté disponible un nuevo especial temático sobre la cooperación en Iberoamérica en nuestro portal somosiberoamerica.org
* campo requerido
Idioma

Secretaría General Iberoamericana usará la información que nos proporciones en este formulario para estar enviarte actualizaciones del portal Somos Iberoamérica e información relacionada.

Puedes darte de baja en cualquier momento haciendo click en el enlace del pie de nuestros emails.

We use Mailchimp as our marketing platform. By clicking below to subscribe, you acknowledge that your information will be transferred to Mailchimp for processing. Learn more about Mailchimp's privacy practices here.