Mi investigación

Cooperação Sul-Sul como ferramenta de integração

Nos últimos anos, o Sul global está tendo cada vez mais influência e incidência no sistema internacional; e, em tempos de incerteza, os países do Sul impulsionam o crescimento global.

A Cooperação Sul-Sul (CSS) colocou sobre a mesa uma nova lógica de ajuda diferente à Cooperação Norte-Sul.

Com relação ao processo de construção do conceito da Cooperação Sul-Sul, poderia se dizer que não houve consenso sobre como defini-lo.

Em termos de Thomas Kuhn estaríamos perante uma crise do paradigma. No presente trabalho, entende-se como uma relação mútua inter pares e “seus princípios básicos são a horizontalidade, o consenso e a equidade”.

A Cooperação Sul-Sul incrementou seu volume e importância no sistema internacional, é um processo dinâmico e contínuo na região latino-americana.

A CSS pode ser vista em muitas ocasiões como uma ‘caixa de ferramentas’ na que a integração se viu influenciada, mas teve um caráter mais discursivo que prático.

O presente trabalho analisa a relação da Cooperação Sul-Sul e sua relação com a integração regional latino-americana, entendendo-os como dois processos inter-relacionados e interdependentes. Na região latino-americana, dito processo se viu fortalecida com relação ao caráter identitário e cultural.

Neste marco, o objetivo da pesquisa foi examinar se a Cooperação Sul-Sul é uma ferramenta que fomentou a integração regional na América Latina, fazendo especial incidência nos processos multidisciplinares que se aproximam em princípios e valores à CSS, como o regionalismo post-neoliberal.

Os processos de integração são entendidos como construções socio-históricas nas que os governos dos Estados estão envolvidos e têm incidência no processo. Para realizar este enfoque prospetivo foram analisadas pesquisas científicas e artigos acadêmicos, além de recorrer a fontes primárias de várias organizações internacionais. Desta forma, foi eleito um estudo de caso para exemplificar a instrumentalização: o caso de UMASUR.

A situação do continente mudou em relação ao ano 2016, data na que foi escrito o trabalho. No entanto, os organismos de integração que têm princípios da CSS em suas origens proclamam sua preocupação na estabilização regional e o reforço da identidade latino-americana.

A CSS pode ser vista em muitas ocasiões como uma ‘caixa de ferramentas’ na que a integração se viu influenciada, mas teve um caráter mais discursivo que prático.

 

Los argumentos expuestos en esta tribuna responden en exclusiva al punto de vista del autor, que es responsable de las opiniones manifestadas, y no reflejan en ningún caso la postura de la SEGIB

categorías:

Cooperação Sul-Sul Integração Pesquisa Relaciones Internacionales


Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. Aceptar | Más información
Recibe una alerta cuando esté disponible un nuevo especial temático sobre la cooperación en Iberoamérica en nuestro portal somosiberoamerica.org
* campo requerido
Idioma

Secretaría General Iberoamericana usará la información que nos proporciones en este formulario para estar enviarte actualizaciones del portal Somos Iberoamérica e información relacionada.

Puedes darte de baja en cualquier momento haciendo click en el enlace del pie de nuestros emails.

We use Mailchimp as our marketing platform. By clicking below to subscribe, you acknowledge that your information will be transferred to Mailchimp for processing. Learn more about Mailchimp's privacy practices here.