Histórias

Artesanato para o progresso

O trabalho decente e a prosperidade econômica não estão renhidos com a tradição e a conservação dos costumes. E este é o caso do huancaíno Pedro Veli, que a seus 76 anos continua mantendo sua própria oficina e até um pequeno museu na cidadezinha de Cochas Chico, Huancayo.

Desde criança, Pedro trabalha produzindo maravilhosas e delicadas cabaças com motivos tradicionais, históricos e toda classe de temas relacionados à Amazônia, onde viveu sempre.

É esta tradição transmitida de pais a filhos o que impulsiona o crescimento econômico destas pequenas povoações peruanas e o principal motivo pelo qual Pedro conseguiu o “Prêmio Nacional Amautas de Artesanato Peruano” em 2017.

Pedro é um exemplo não só da transmissão de conhecimentos artesanais às novas gerações de homens e mulheres dedicados a esta atividade milenária que é a cabaça burilada, senão da construção de uma Ibero-América mais próspera que melhora a competitividade das empresas locais dotando-as de futuro.

Porque todos juntos #SomosIberoamérica e lutamos por conseguir uma maior riqueza para a região, não perca a história de Pedro que, através do programa Iberartesanatos, ajuda também a pintar #LosColoresDelCambio.

categorías:

Artesanato Capacidades Cooperação Ibero-Americana Diversidade Empreendedorismo Histórias Meio Rural Programas, Iniciativas e Projetos Adscritos Turismo

Solicitamos su permiso para obtener datos estadísticos de su navegación en esta web, en cumplimiento del Real Decreto-ley 13/2012. Si continúa navegando consideramos que acepta el uso de cookies. Aceptar | Más información